Estátua do Cristo de Guaratuba

A estátua do Cristo de Guaratuba foi idealizada por Miguel Jamur, ex-prefeito do município, hoje já falecido. Em uma entrevista com ele me contou que no início pensou instalar um Busto do fundador da cidade de Guaratuba, Cel. Afonso Botelho de São Payo e Souza., tornando o local um ponto turístico. Porém mudou de ideia e a substituiu pela imagem do Cristo. Por sugestão de José Lupion, irmão do então Governador do Estado do Paraná, Sr. Moyses Lupion, contratou Iswaldo Fedatto de Curitiba, para realizar o trabalho artístico. Fedatto preparou a estátua em sete anéis ocos confeccionados com arame, barro e cimento. Quando chegaram em Guaratuba ficaram guardados no Depósito da Garagem Municipal que achava-se localizado no antigo Mercado Municipal, onde hoje é o complexo de bares do Santo Canto. A responsabilidade de transportá-los até o Brejatuba foi do senhor Luiz Basílio, motorista de um Chevrolet que a Prefeitura possuía. Os anéis eram muito pesados e foram transportados até o topo do Morro do Brejatuba um a um, puxados por cordas grossas que foram amarradas nas arvores existentes no morro.

Foi construído uma espécie de trilha de madeira e as cordas amarradas num pedaço de tronco bifurcado (zorra) onde foi passado sabão para facilitar a subida. Um acidente de trabalho quase aconteceu quando um dos elos soltou-se vindo a se espatifar nas pedras, sendo necessário a construção de outro. Ambos sobrepostos e preenchidos com concreto e pedra montavam a imagem gigante. Para realizar a obra, Fedatto contratou o Seu Aparício Alves, responsáveis por muitas outras obras monumentais em Guaratuba.

A estátua deveria ficar com um dos braços voltado para a boca da Baia para abençoar os pescadores que entravam e saíam, pois na época só tinham acesso por meio de canoas e barcos grandes, e muitos eram os que morriam na expectativa ou tentativa de passar pela Barra. O outro braço com a mão no peito guarda um frasco com água benta espargindo a cidade.

A estátua do Cristo foi um presente do Dr. João Cândido Ferreira em homenagem a sua esposa Josefa.Ele gostava muito de Guaratuba e sonhava construir uma estrada, porém faleceu em 20 de fevereiro de 1948, não concretizando seus ideais.

A estrada foi então iniciada 40 anos depois no governo de Moyses Lupion. A viúva do então Ex-Governador Dr. João Cândido Ferreira, senhora Josefa do Amaral Ferreira, decidiu que pagaria as despesas do monumento, segundo me relatou o Sr. Miguel Jamur na ocasião da entrevista. Pagou no entanto 80% e os restantes 20% ficaram por conta da Prefeitura – Gestão Miguel Jamur, idealizador da estátua.

A inauguração aconteceu em 23 de junho de 1953 com seus 260 degraus, cujos responsáveis pela construção dos mesmos foram o Senhor João Gadotti, Aparicio Alves, Alcides Quintino, Diamiro e outros, ficando prontos já em abril de 1953. A placa inaugural fixada na época foi arrancada por duas vezes, por vandalos. Daí então nunca mais foi localizada. e nem susbstituida. Esteve presente na cerimônia o Sr. Francisco Cunha Pereira, Genro do Ex-Governador João Cândido Ferreira , familiares e autoridades locais. No ano de 1991 foi mandado construir pelo Prefeito Aldo Abagge um elevador panorâmico facilitando o acesso ao Morro principalmente para pessoas da melhor idade e pessoas com debilidades motoras, entretanto atendendo a uma determinação do Meio Ambiente, o elevador foi extinto.

Em 1994 cogitou-se a construção de um teleférico que levaria turistas e visitantes do Morro do Cristo ao Morro das Caieiras, porém o Projeto não saiu do papel. Em 13 de maio de 2000 na gestão do Prefeito Everson Kravetz com a presença maciça da comunidade guaratubana, o Deputado Federal Luciano Pizato, o Presidente da Assembléia Legislativa do Paraná , Deputado Nelson Justus representando o Jornalista Francisco Cunha Pereira, Deputado Cézar Seleme, o Juiz da Comarca de Guaratuba, Dr. Noedi Bitencourt Martins, Vereadores e Secretários Municipais , realizaram a celebração e benção solene da Estátua do Cristo Redentor revitalizada. A cerimônia foi conduzida pelo Pároco da Igreja de Nossa Senhora do Bom Sucesso, Padre Carlos Hergenhoeder e pelo Padre Adriano Franzói, contando a presença do Coral de Crianças da Catequese, que durante a celebração jogaram inúmeras pétalas de rosas.

O Studio de Dança Professor Santos apresentou coreografias aos presentes. O escultor paranaense Luiz Trevisan foi o responsável pelo trabalho de restauração da estátua, constando entre elas a adequação da escada via de acesso ao cume do morro, colocação de corrimão em toda sua extensão com vários pontos para descanso, iluminação em todo o percurso, sala de memória, oratório, um mirante de onde se pode avistar toda a cidade e a elevação da estátua do Cristo a nove metros de altura. A iluminação e vigilancia noturna permitiam visitação à noite. Abençoando a cidade, sobressaindo na paisagem, o Morro também serviu como posto de observação durante a 2ª Guerra Mundial, quando os soldados do Vigésimo Batalhão de Infantaria de Curitiba, utilizava o local.

Em 2009 na gestão da Prefeita Evani Justus reparos foram realizados e a Casa da Cultura homenageou o bisneto de João Cândido e Josefa do Amaral, que exerceu a profissão de Oftalmologista em nossa cidade.

A estátua do Morro do Cristo é uma obra de arte magnifica e de um valor imenso. Na época em que foi instalada visto as dificuldades encontradas, continua sendo um presente para nossa cidade, pois continua exuberante em seu local de origem. Sou grata por todas as informações que recebi enquanto Diretora da Cultura deste município, oferecendo-me a oportunidade de nos dias atuais contar aos que me procuram a história deste monumento.